Olho no pé

Mais uma descoberta do CVM do Miguel, sempre a surpreender pelos projetos verdadeiramente audazes e empreendedores que apoia e divulga.

Fiquei bastante surpreendido em saber que  esta casa abriu  há mais de um ano um wine bar na zona antiga na cidade do Porto onde só serve os seus vinhos. Sim, se pedir uma cerveja não terá. Fico contente por dois motivos, por um lado pela existência de alguém suficientemente louco para apostar em projetos verdadeiramente diferentes e por outro lado saber que a cidade do Porto consegue já ter fluxo de pessoas e estrutura para alimentar projetos que pelo nicho que ocupam, só estávamos habituados a ouvir falar deles na capital, em Lisboa.

Tive oportunidade de provar vários vinhos da marca, mas o que mais me surpreendei foi o Olho no pé colheita tardia 2011. Em plena prova fui desafiado a adivinhar o mês em que foram colhidas as uvas. Dado que se tratam de vinhos de Alijó mesmo ao lado de um dos primeiros e míticos colheitas tardias feitos em Portugal pela Real Companhia Velha. Mas isso agora não importa pois o que interessa é adivinhar o mês da colheita: Apontei então para finais de Novembro…

Errado! Seria então Janeiro do ano seguinte! Incrível o que a podridão nobre pode fazer num vinho, passou dois anos em barrica, e dá imenso prazer beber: Notas de mel, químicas, doçura cortada pela tremenda acidez que faz com que nunca se torne cansativo. E isto só no primeiro travo, depois vêm as passas, alguma laranja seca enfim não paramos de beber e por isso uma garrafa, é muito pouco para tanto vinho.

Estes vinhos envelhecem tremendamente bem, esqueçam-se de uma garrafa na garrafeira e terão boas surpresas!

2 Comentários

  1. Miguel Gouveia Novembro 25, 2014 at 12:35 am #

    Valter, é realmente um grande colheita tardia, que será muito curioso acompanhar a evolução durante os próximos anos. Só uma pequena nota: Em Janeiro de 2012 foi efectuada a última passagem na vinha, não tendo todas as uvas sido colhidas nessa altura.

    abraço,

    Miguel

    • Valter Neves
      Valter Neves Novembro 26, 2014 at 11:17 pm #

      Obrigado pelo comentário Miguel! Ainda vem enriquecer mais este post.

Deixar uma resposta