Feiras, Provas, Visitas….Então e o retorno ($)? Sim produtores,…Isto é para vocês!

Uma das grandes questões que assalta naturalmente qualquer enófilo quando olha para um evento destes, é de como um produtor pode materializar o investimento que faz em espaço e meios para estar presente. Posso enumerar uma lista imensa de vantagens objectivas e subjectivas para que um produtor marque presença num evento destes, no entanto, nenhuma se traduzirá em dinheiro no curto prazo. Manter um orçamento realista, investindo num trabalho sério para a promoção de uma marca, revela ser um trabalho muitas vezes inglório para produtores e enólogos.

Sendo um frequentador assíduo de alguns destes eventos, consigo facilmente apontar alguns aspectos que certamente a ânsia de crescer rápido não deixa que produtores sejam clarividentes na sua abordagem a estes eventos. Eis alguns concelhos que nós consumidores, nós que gastamos dinheiro com os vossos vinhos, vos queremos dar:

- Despejar vinho nos copos sem explicar – O projeto, conceito, pessoas e contexto. Sei que parece cassete, mas tem que ser, todos adoramos uma boa história e quando a têm, há que a contar;
- Com o que é que se come? – A gastronomia caminha em paredes meias com os vinhos, é uma realidade que já não se pode descurar. A frase, “não sei, eu aprecio sem nada” deixa o consumidor sem programa de festas;
- Rápida aferência em quem prova do que é caro – Com algumas perguntas, rapidamente aferem de quanto um consumidor estará disposto a dar por um vinho, guiando-o para o nosso segmento;
- Se não for apaixonado(a) por vinhos, não deve estar a promover uma marca nestes eventos – O consumidor nestes eventos, tem tanto de receptivo como de sensível aos pequenos detalhes. Uma má resposta, um olhar mais apreensivo, uma falta de paciência, ditará certamente o afastamento do consumidor para sempre;
- Ninguém promove o seu próprio enoturismo nestes eventos! Porquê! – Então um “venha visitar-nos”? Um “tem aqui o meu contacto para um programa em família”, com várias recomendações de restaurantes e outros pontos de interesse? etc;
- Trabalho de casa feito – É fundamental destacar-se dos restantes, desde um minúsculo queijo para picar, até um primeur que ainda não está no mercado, tudo serve para o consumidor ter aquela sensação que o produtor também pensou nele;
- Jogar as cartas todas – “Eu sou do Alentejo como os meus 50 colegas aqui ao lado, mas sou bio, só faço 1500 garrafas por ano, só colho um cacho de cada vez e só durante a noite!” (Claro que estou a exagerar, mas assim todos percebem a ideia);
- Não é um encontro de amigos que já conhecem os vinhos e lhe vêem dar um abraço – Perca muito pouco tempo com estas pessoas, se são amigas perceberão, até porque a essas, um sms no fim do evento salva o dia;
- Saber onde vamos estar, como vamos estar e para quem vamos estar – Parece evidente, mas não é, vemos produtores pequenos dispersos pelas salas ao lado de grandes produtores de outras regiões, vemos grandes casas a despejar vinhos para os copos sem querer saber de onde vêm as pessoas que estão à sua frente. Estudem, peçam dados aos organizadores do evento (estatísticas, etc.);
- Relatórios exaustivos no final de cada evento – Este é o ponto em que com certeza haverá mil e uma desculpas para não fazer, no entanto não fazer custa muito caro hoje e vai custar ainda mais caro no futuro. Escrever o que ouvimos, o que aprendemos, o que não vamos voltar a fazer, o que valeu ou não valeu a pena levar e equacionar se repetimos é essencial no processo de aprendizagem de uma casa, seja ela minúscula ou grande. Parece um detalhe, mas só assim poderá levar e ser levado à séria por todo o mercado a montante e a jusante;

E sim, sei que nós consumidores, somos cruéis, incompreensivos, por vezes mal-educados, ignoramos muitas vezes os vossos concelhos e apelos. Mas no final do dia, somos nós que decidimos o que compramos e o que não compramos, por isso, voltem a ler este artigo, mas sem aquela mania do “eu já sabia, eu é que tenho razão!”

4 Comentários

  1. Luís Amorim
    Luís Amorim Abril 9, 2014 at 9:12 pm #

    Às vezes é mesmo isso…. limitam-se a despejar vinho para os copos…. :-)

  2. Demétrio cartao de credito bradesco Abril 20, 2014 at 9:37 pm #

    Magnifico, muito informativo. Eu me pergunto por que os outros especialistas deste sector nao percebe isto. Devera prosseguir a sua escrita. Tenho certeza, voce tem uma base de leitores enorme ja!

    • Valter Neves
      Valter Neves Abril 20, 2014 at 10:22 pm #

      Muito obrigado pelo incentivo! Forte abraço!

  3. lista de emails Abril 27, 2014 at 1:58 am #

    great post! i am just starting out in community management marketing media and trying to learn how to do it well – resources like this article are incredibly helpful lista de emails lista de emails lista de emails lista de emails lista de emails

Deixar uma resposta